sexta-feira, 31 de julho de 2015

Relacionamento destrutivo


quinta-feira, 30 de julho de 2015

Nina em minha cama


Relacionamentos destrutivos: saiba a hora de dizer adeus

 
           
                      Costumamos dizer que " pimenta no olho do outro é refresco". Quando nos referimos ao nosso problema ser maior, e que os demais, nada fazem para ajudar-nos. Então vamos lá! Quando você pede um conselho quer ouvir justamente o contrário do que te aconselham, você quer simplesmente continuar se enganando, sofrendo, se humilhando.    Pare pra pensar que ninguém pode sofrer por você, amar por você, resolver seus conflitos. Ajudar dando uma palavra de conforto e tentando mostrar saídas ,melhora, mas não resolve o x da questão. Nessa hora entra filhos, cachorro, bens materiais e uma infinidade de coisas para adiar essa aflição. Não se pode amar por dois, isso é loucura! Amar incondicionalmente é outra coisa bem diferente! Amor entre um homem e uma mulher requer muito mais que pontinhos em comum, amigos em comum, vícios em comum... requer cumplicidade desde o início, requer respeito em todos os sentidos, liberar o espaço do outro, não querer pensar pela cabeça do outro e nem exigir atitudes que você mesmo não poderia aceitar.
               Os grandes números na estatística de violência doméstica já começam antes de se relacionarem na própria família, e isso levam para sua vida conjugal. Nem sempre o casal se interessa pela história de vida do outro, em momento algum dessa relação. Há casos em que o homem ou a mulher vivenciaram durante sua infância ou adolescência momentos de aflições na família. Não quero justificar um homem ou mulher violento baseado apenas nisso. O que se pode fazer em determinados casos é avaliar o que mais aflige o casal, buscar meios para melhorar individualmente, porque relação exige adaptação.
                     A violência de ambas as partes são números assustadores e podemos ver que as mulheres estão quase se equiparando com os homens. Os direitos tem que serem iguais. Não adianta questionar fragilidade por ser mulher, não existe fragilidade, quando uma  mulher sabendo que seu marido tem um temperamento forte, o instiga a cometer atos muitas das vezes irreversíveis. O homem também não deve subestimar sua mulher. 
    Vê-se atualmente mulheres cometendo crimes, premeditando coisas terríveis...ou por dinheiro, ou por estar com um relacionamento extra conjugal, ou mesmo pelo ciúme doentio do marido. Ninguém é coitadinho, não existe hoje nessa era de tantas mudanças uma mulher submissa e incapaz. O que ocorre na sua maioria é que a estabilidade financeira ou mesmo a falta de coragem de lutar pelos seus ideais, reprimem essa mulher que vai minando sua vida e deixa ser levada pela dor, tristeza, depressão, morte! O respeito tem que prevalecer. Se vocês namoram com determinada pessoa em algum momento vai aparecer vestígios de um futuro perturbador caso você se permita a isso. Mudar alguém, ou seus hábitos e manias requer paciência e sabedoria. Nada nesse mundo fica oculto a não ser que você finja não ver. Porque quando acontece o pior, aparecem muita gente dizendo : Eu sabia que não ia dar certo!
                          Se você homem, se você mulher ou seja que tipo de relacionamento tenha....
busque primeiramente a DEUS e peça a direção sobre tudo o que você quer ver dessa relação. Isso não depende de religião, depende de visão. Não permitam abusos desde o início, defendam-se de acusações mostrando seu valor, aponte suas qualidades, jamais grite, jamais ofenda, jamais exija aquilo que sabe não ser possível! Pare e pense de que  modo você está colaborando pra sua relação dar certo.  Não estou na defesa e acusação de ninguém. O que vi, escutei, percebi em minha vida e nos relatos dos outros fizeram-me crer que primeiramente me respeito e eu tenho que respeitar o meu parceiro em todos os sentidos, fazendo com que ele veja em mim um alicerce, uma amiga, uma irmã.
                          Digam pra si mesmos se é essa vida que querem viver....ou se está na hora de dizer ADEUS.

Laura Garrido

terça-feira, 28 de julho de 2015

ENTREVISTA DE EMPREGO: Cuidado com o que diz!


 
                           Ainda me lembro da minha primeira entrevista formal de emprego. Não estava nervosa porém nem fazia ideia do que me perguntariam. Cheguei meia hora antes, estava vestida bem discretamente como pedia a ocasião principalmente porque tratava-se de um ambiente hospitalar. O chefe na época era o diretor médico. Eu estava com uma saia de tom escuro, uma camisa clara e sapatos salto médio. Meu cabelo era curto facilitava muito para arrumar. Fui chamada entrar na sala, ainda me lembro do cheiro forte que exalava daquela sala com tantos filmes de RX recém chegadas da câmera escura (lugar onde são reveladas as radiografias e o cheiro, é do revelador)fechei a porta, dei bom dia e  esperei que fosse convidada a sentar-me. Olhei nos olhos sem demonstrar nervosismo e o médico se apresentou e eu também. Apenas dei meu nome. A conversa não se estendeu muito porque o médico não estava acostumado com os requisitos de RH ( Recursos Humanos), ele apenas era chefe do setor e na minha época havia o Departamento de pessoal que fazia os trâmites legais após uma rápida entrevista com o responsável do setor.
                     Hoje as coisas são diferentes! Primeiro passamos por exaustiva espera para que o currículo seja enviado e aguardarmos resposta; segundo passo caso sejamos escolhidos para entrevista, nos prepararmos psicologicamente; tentar alimentar-se levemente na noite anterior, evitar discussões na família de ordem que afetem a tranquilidade, evitar criar expectativas negativas de : acho que não vou me sair bem, acho que estou gorda, magra, acho que sou muito alta ou baixa...
                    Entrevista de emprego não é um matadouro e saibam que aquela pessoa que está ali te preparando para uma dinâmica ( se houver), também já passou por isso um dia e sabe o que você está passando.  Sua roupa deve ser discreta e de acordo com o local, não as use curtas ou com decotes ousados, (a não ser que sua entrevista seja em uma boate, e olhe lá),os rapazes em hipótese alguma usem boné, bermudas ou camisetas com estampas ou sem mangas. Gente, entrevista é uma das primeiras impressões que você deixa. Fale apenas de suas experiências de forma concisa e breve. Nada de falar mal do antigo chefe ou dos colegas. Se não está tão apto mas quer trabalhar... também não diga que : " Eu visto a camisa da empresa e sou pau pra toda obra, ou, " comigo é no tête á tête",você vai se queimar na hora mesmo que seu currículo seja adequado. Nunca diga que deseja a vaga porque está necessitada que tenho filhos pra criar, marido desempregado, mãe doente. Chega de chorumelas! Uma empresa quer um profissional discreto, objetivo, humanizado ( sem ser piegas). Quando terminar a entrevista espere que lhe digam o próximo passo, sem ansiedade. Jamais caia na asneira de ficar perguntando nas redes sociais se " A , B ou C " receberam resposta de tal empresa ou digam coisas negativas, muitas vezes podem estar sendo observados e nada de obter resposta. Cautela gente, em tudo na vida.
                      Desejo que tudo saia bem para quem está a caminho de obter uma vaga tão sonhada!
                      Desejo que respeitem seus novos colegas e não repitam erros do passado e não deixem que façam com vocês também. A melhor convivência no trabalho é chegar pro outro discretamente e mostrar seriedade no que faz, sendo agradável e evitando " disse me disse" .

Laura Garrido
                                        
                          


 
 
 
 
 

domingo, 26 de julho de 2015

A INVEJA NO SEU LOCAL DE TRABALHO

 
 

       Bom, não sei quanto a você... mas eu sei de casos desastrosos, e que quase culminaram em problemas físicos e emocionais em diversas pessoas.  Trabalhei alguns anos em um hospital, e pude comprovar ao longo dos anos que as pessoas mudaram seu comportamento em quase 70 % nos seus locais de trabalho, em relação aos dias de hoje. Costumo dizer que nos anos 90,( não que a inveja tenha piorado seu perfil, pois para mim ela sempre foi igualzinha) mas, quero relatar que há vinte e cinco anos atrás, os colegas de trabalho tinham uma postura mais suave , uma interatividade e até senso de humanização perante ao seu companheiro. Eu recordo em um de nossos cursos promovidos pela instituição, que a grande maioria se uniam  nos cursos de dinâmica e isso surtia efeito a longo prazo. Passados os anos, mudanças bruscas vem acontecendo. Vejo pessoas usando de métodos mesquinhos, baratos; uma espécie de legião de sugadores de energia. Sim, isso mesmo! A pessoa sai de casa no intuito de exercer seu trabalho e voltar bem ou mal resolvido(a) com seus próprios erros e acertos, dívidas, filhos á cuidar, na maioria dos casos um marido problemático ou ( vice e versa ).   Você sai pior do que entrou, isso porque o (a) colega mal te dá um bom dia e descarrega suas frustações na sua cara sem perguntar nada. Aí você respira fundo, conta até três porque já não se concentra nos demais números e a pessoa blá, blá, blá....  SOCORRO!!! Manda essa criatura calar a boca! Isso é sua voz interior gritando. Na verdade para quem é vítima de um invejoso, nem sempre percebe sua real intenção. Mesmo que esse indivíduo mostre-se cansativo, repetitivo, chato, na verdade você não vê que ele te ABSORVE, SUGA, ENFRAQUEÇE SUAS ENERGIAS porque ele quer ser como você. Ele tenta aparentar muitas vezes o coitadinho(a), e nessa imagem dissimulada faz com que desestabilize sua concentração, suas metas, seu poder de concentração. Aí você vai perdendo o estímulo para chegar ao trabalho, começam a caras feias, os monossílabos e o pior que esse (a) invejoso(a) vai ganhando espaço, terreno, manipulando sua vida profissional no intuito de cansar-lhe ao ponto de querer sair do trabalho.   Cuidado você que tem alguém parecido na sua mira. Ainda tenho saudades do tempo em que colegas de trabalho tornavam-se grandes amigos pessoais, que compartilhavam do mesmo ideal de crescerem profissionalmente sem querer ser um fura olho. Vou te dar umas dicas: Procure mudar seus hábitos se você se identificou com algo aqui. Aprenda a dizer "não" quando certos temas te incomodam, se você se sente mal nada melhor que ser cordial e dizer vamos deixar esse assunto para outra hora, não absorva problemas pessoais dos outros no seu trabalho, porque você estará levando para casa e isso vai estressar sua família com o seu comportamento. Lugar de desabafar é com analista, e se você não é um...aproveita e mentaliza outras coisas, canta, ore, ria mentalmente caso essa pessoa insistir em tagarelar. Um invejoso é um sugador de energia, creia nisso!

                     Laura Garrido
                           

.

                  
               



 

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Conta comigo


Conta comigo


VOCÊ ATRAI AQUILO QUE PENSA

 
Você é um ser único. Ainda que seja parecido com alguém o que tenha um irmão gêmeo. Você continuará sendo único. O universo atrai aquilo que pensamos e transforma em ações, portanto muito cuidado com aquilo que pensar. A nossa sorte é que nada é automático, sendo assim, temos a chance de mudar . Portanto nada de ficar desejando coisas em vão, nada de menosprezar sua imagem, nada de ficar repetindo: E se eu recebesse, se eu fizesse, se eu quisesse ou eu queria tanto, se eu pudesse faria... chega! você está no presente. Eu quero, eu desejo, eu recebo, está chegando, estou ganhando, estou recebendo! Nosso pensamento entende que deve realizar então se você diz: "Eu não quero continuar pobre". Sua mente entende assim: " Eu quero continuar pobre". Te digo o por quê... a palavra "NÃO", é ignorada, desconhecida portanto a maneira que você pede está incorreta. O universo entende quando você mentaliza que: Eu quero ser rico, ou estou ficando rico! Eu sou uma pessoa sem dívidas, eu sou uma pessoa que tenho bênçãos! Vamos modificar antigos hábitos. Isso serve para todos os setores de nossas vidas. ( Vou contar minha breve história que sirva de exemplo: Durante alguns anos fui fumante, minha mãe foi fumante, meus dois irmãos também. Cresci vendo todos fumando, menos o meu pai. Aos 16 anos experimentei o cigarro por brincadeira com duas primas na escola, não gostei e mesmo assim continuei fumando porque na época era comum fumar! Confesso que era uma fumante razoável, mesmo assim os anos foram passando, eu vi minha mãe adquirindo uma  DPOC uma séria doença obstrutiva crônica e veio a óbito fazem oito anos, o motivo:Cigarro. Um belo dia eu decidir parar de fumar e disse assim quando me ofereceram um cigarro aceso. "NÃO", EU PAREI DE FUMAR! Vejam que o não em nada interferiu, apenas eu parei de fumar. Na época eu nada entendia do poder de atração como hoje, apenas tomei a decisão. Ninguém acreditava mas eu nunca mais tive vontade de fumar. não coloquei na boca nem brincando, podem fumar perto de mim e nem me abala. Minha consciência entendeu o que eu queria, fui direta e clara. Bom, não posso dizer que isso é igual com todos, porém tentar e crer que é o melhor afirmar, que vacilar, isso é!
Desejo de coração que o "NÃO" seja colocado apenas onde seja necessário e que o desejo faça mais parte de sua vida do que" EU ESPERO". Porque quem espera, espera sempre....
 
                    LAURA GARRIDO
 

sexta-feira, 10 de julho de 2015

                   Inscrevam-se no meu canal YOUTUBE

                                 ENTRE E ACESSE