domingo, 22 de janeiro de 2012

Ama-me!!!


Na plenitude da tua alma clara,serena,intacta...repouso minhas energias exaustas...
minhas canções tristes,
minha aura lúgrube...expressões disformes de uma presença cansada...matéria doidivana que a tudo escapa.
A rebeldia do meu ser voraz confunde e funde-se ao deserto solitário...
vasto ,frio na noite vazia... porém intenso ,misterioso e sedutor...
... qual veneno enganador que deliciosamente...mata, mata e mata!
Ama-me...!
mas suporta as agruras que todo esse amor te reserva,te espreita e dilacera.
Ama-me e não me deixas ir embora,não ocultas a tua face agora...
porque sem ti sou barco naúfrago em águas tortuosas.
Ama-me...!
porque mais insano que meu amor sejas, é tua vontade de entregar-se que nos sustenta...porque somos presa um do outro, fome que não cessa!!!