domingo, 13 de março de 2011

"Estou de volta"
















Então é isso.
Acordo e ouço os acordes da minha mente dizendo...
Hoje será diferente. Percebe?
Mas como não se sente e um tanto dormente meu peito dissolve,
deságua,
derrama.
Preciso me acostumar com mudanças.















Estava sem cuidados nos meus passos.
Sem medir os desastres,
Sem aquilo,
sem isso,
sei lá!












Não quero mais certezas.
Elas são feitas para compromissos que nem sempre são folhas saudáveis.
Saõ folhas secas que o vento espalha.
Que rolam,
Que seguem.













Não tenho mais a sensação de que um "não," vai me afetar.
Perdir a euforia desenfreada.
Estou mais conciente e serena,
Estou semelhante a uma estação de trem que vai e volta, sem guardar os rostos que por ele passa .
Isso é bom.
Isso me faz andar nos trilhos.




















As borboletas estão mais calmas.
As mãos nem tão frias.
O coração ritmado.
O raciocínio lógico.
Isso é bom sinal.
Estou de volta!