sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

É minha culpa (Enigma-Tradução" Mea Culpa")



É minha culpa
Deus tenha misericórdia
Cristo tenha misericórdia

Eu não consigo mais descansar (A hora chegou)
Eu te desejo (A hora chegou)
Prenda-me
Eu sou sua
É minha culpa

Eu quero ir ao limite das minhas fantasias
Eu sei que isto é proibido
Eu estou louca
Eu estou me deixando levar
Minha culpa

Deus tenha misericórdia
Cristo tenha misericórdia

Eu estou perdida
Eu não tenho nada
Eu estou louca
Eu estou me deixando levar
Minha culpa

Eu não consigo mais descansar
Eu te desejo
Prenda-me
Eu sou sua

Deus tenha misericórdia
Cristo tenha misericórdia

Eu estou perdida
Eu quero tudo
Quando quiseres
Como quiseres
Minha culpa
Deus tenha misericórdia

Até quando?
















Ausência a dois é pior que morte anunciada.
Um prelúdio de notas vazias, onde apenas um só ouve.
Um presságio tão visível que arrepia só de imaginar. Um rio secando,triste!
Dialogando com o espelho, as respostas são sempre as mesmas...tudo pode acontecer!
Como um falso vidente que abre as cartas e destina mentiras.
Melhor é ver o sol nascer  por várias janelas diferentes.
O céu colorido visto de vários ângulos, será sempre mais reluzente!
Nada pode ser orientado pela  bússula das paixões, estará sempre desordenada, sem rumo.
Tudo é belo! Perfeito!
Até quando?
Até cada um sem motivo algum, tomar seu lugar no espaço que lhe couberem...a desilusão.
As vezes para um só.
As vezes dois em um.
Mas sempre de uma forma egoísta, sem palavras coerentes, sem gestos delicados, sem amor próprio.
É percebível que não somos dotados ainda de amor.
É fato que precisemos atingir muito o grau da cumplicidade verdadeira.
Compactuamos com quase tudo... que não nos possa  prejudicar.
Mas não registramos de imediato... do que não precisamos, ou gostamos.
Do que nos faz inseguros,tristes, maduros, crianças.
Somos marionetes desse jogo egoísta de quem finge não ver.
Quem não identifica o defeito alí existente,
Quem apenas espera encontrar no outro o que não viu em sí mesmo.
É exato. É fato. Que não aceito viver um acaso.
Prefiro fechar os olhos e sentir que posso ser feliz com meu passado,
Pois os guardei bem guardados. E são tesouros inigualáveis.
Pude perceber que cativei sem mentiras,fui uma autêntica pessoa do ato.
Não existe inimigos que boas lembranças não apaguem.
Existem pessoas que nunca revelaram sua verdadeira identidade.
Acredito no meus caminhos partilhados.
Foram expressivos,amigos,filhos,pais,irmãos,mestres,namorados.
Poderão até nunca terem sido meu amados.
Pois amor é pra dois, não pela metade.
Porém sempre estarão comigo, e eu com eles também.
Porque uma relação pode acabar, mas não  uma amizade.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

" Mulher de fases"














Há dias em que ela sai por aí, torturando as mentes passivas.
E passa um olhar faminto,
E joga os cabelos ao vento,
E sorri como quem pensa bobagens.
Mas se afasta deixando-as confusas e atordoadas.




















Em outros momentos é a profissional dedicada.
A que não teme nada,
E  fica horas fora de casa,
E satisfeita em dar conta do recado,
Voltando a ser a moça recatada.





















Estando sempre voltada para a salvação.
Enfrenta dolorosas conversas por expiação.
E promete mudar um dia.
E grita baixinho por piedade ao criador,
Que seja resgatada por uma alma divina





















Na dança encontra a excitação inspiradora.
E no corpo o espelho da malícia que desperta sonhos.
No quadril um demônio que serpenteia,
atraindo quem por ela se aproxima com destreza.



Há quem diga que ela possui o dom da atração
Que ampara e aconselha sem olhar a quem.
Que semeia mudanças positivas ao longo do caminho.
Que nunca desampara,
mesmo parecendo ter um coração vazio.


Não podendo ser perfeita, tinha que possuir mil defeitos.
E chora de rir,
E chora porque chora.
E grita em silêncio pedindo aos seus tormentos...
 que a deixem ir embora.
E pede um colo sagrado,
que afague seus cabelos beijando-lhe  a face.
E sonha com o homem idealizado,
aquele que a fará desvendar,
todos os segredos guardados
todos os desejos insanos,
todos os anseios destinados,
para sua alma semelhante.
Seu homem, 
Seu mestre.
E entre as diversas faces de uma mesma moeda,
diversas fases com  estações e tempestades,
a cada dia, um novo dia,
com seus desertos e ilhas belas
a cada amanhecer...
 sempre a mesma mulher.
  





domingo, 20 de fevereiro de 2011

" APOLO"


 















Mais uma vez nasce o sol, e as musas te chamam.
Onde estarás  o raio luminoso que a todas nós irradia com seu calor?
Entre os deuses do olimpo, és o mais bem glorificado.
Entre os vários dons a ti pertencente, não há maior que a beleza presente.
Tens na pele o alvo tom, semelhante as nuvens celestes que nos fazem viajar.
Nos olhos, a gentileza de quem enxerga alma feminina  em secreto.
Na boca, o sabor que procuramos encontrar nos frutos mais doces e macios.
E nas mãos, as armas adequadas para tocar qualquer melodia com seus sagrados toques.
Seu tronco, semelhante a uma árvore esguia, resistente e elegante.
És um deus disfarsado, em sua forma humana.
Desejo que busco e sonho constantemente.
Se houvesse predicados suficientes para destacar seus atributos,
diria com os lábios orgulhosos, que os principais meus olhos já se alegraram.
Nada se compara ao homem que se quer, e é inviolável sua espera.
Mas quando muito se preza, tudo é suportável!
A mulher que entrega suas expectativas certamente perdida está.
Que viola seus selos e abre as portas, nunca mais se fechará.
Que permite ser amada de corpo e alma, conhecerá o poder de uma divindade.
Que vive e deseja sem cessar esse Deus um só instante,
encontrou-se de fato com a face do prazer.
Não haverão abismos existentes.
Cairão por terra as dúvidas.
Só sobreviverão os encantos permitidos, as pérolas escondidas...colhidas por ti " Apolo".
                                                                                        

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

"Desejo em vermelho"














Nunca havia sido beijada assim... estou em apuros!
O vermelho "carmim" já desbotado, pela fúria insaciável que tua boca espalhou.
No íntimo das minhas entranhas, ainda sinto os espasmos involuntários que teu corpo provocastes!
Foi ânsia,
Foi uma louca dança,
Pura liberação! Entrega nua, sem travas...salvação ou perdição de duas almas.










Como uma abelha operária colhestes o mel do botão escolhido.
E fizestes da rosa a mais inteira do jardim.
Nunca havia sido colhida assim!
É preciso astúcia e determinação para afastar intrusos, é preciso vontade para colher sozinho!
















Meus impulsos são vermelhos como o sangue que corre em mim.
Minha impaciência chama-se prazer reprimido, quando não estou ligada a ti.
Sou vermelha, sou chama viva!

                      Não permita que eu me perca!
                              Não aceite que eu vacile!
                                 Não deixe aporta aberta!
             Sou uma dama, mas toda dama tem seu lado contrário












A minha boca tem um poço de delícias intermináveis,
ainda é teu, o doce que ofereço...
Mas sou uma raposa esperta, enxergo longe!
Não quero nada pela metade, quando estiveres comigo.
Não aceito divisão.
Quero a certeza que posso consumir o que me pertence.
Quero me lambuzar feito criança!





















Me toma, como uma entrega perfeita!
Não haverá obstáculos que nos segurem.
Quero reinar no teu corpo.
Quero receber a coroa do teu trono.
Quero afastar os plebeus que me perseguem!
Quero atravessar teu rio a nado sem descanso...mas preciso repousar numa arvore frondosa.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

"Mais uma vez ... Eros e Psiquê"




De  onde surgiu o verdadeiro amor?
Alguns acreditam que veio do sofrimento de uma bela mortal, que apaixonou-se pela imagem invisível do homem que a visitava todas as noites.
Porém, movida por instintos duvidosos e curiosos, teve sua satisfação realizada,descobrindo sua verdadeira imagem,
 perdendo assim a confiança do ser amado.
Aquele que a visitava na escuridão, e dedicava-lhe todo o amor digno dos deuses, era o único que ela se apaixonara, sem ao menos seu rosto ser revelado. 
Uma mulher que não trazia no coração a marca comum a todos os mortais, alheia ao sentimento que a tudo supera, " O amor".
Viu-se encarcerada num castelo coberta de todos os zelos, riquezas, banquetes.
Mas presa na desilusão de amar de verdade.
O ser que dedicava á alma em flores, era nada mais, nada menos que o proprio amor em forma humana.
doando os mais perfeitos acordes que seus ouvidos poderia ouvir,
entregando sua presença em forma de toques divinais.
Mas por ferir seu amado, com sua louca curiosidade. Teve que amargar por  duros obstáculos e trazê-lo de volta pro seu lado .
O amor, já cicatrizado. Entrega-se como um elo interminável. 
E a história de Eros e psiquê, mais uma vez é contada.


Quem sonha encontrar sua alma gêmea,
Quem luta para tirar o véu das desilusões,
Quem sonha em habitar noites invisíveis e intermináveis,
Quem sonha em ser perdoado,
Quem  precisa ser imortal nos seus  momentos mais intensos...
fechem os olhos e voem nos braços do amor.








domingo, 13 de fevereiro de 2011

" Respostas"














De que é feita a tristeza então?
se sinto, mas não a vejo.
será que ela chega quando não posso correr solta por aí,
ou quando tento falar e sou impedida?
ninguém nunca me explica! Apenas colabora para que eu a sinta!
Acho que a tristeza não é de algodão doce,
não é de marmelada,
nem de caramelo.
A tristeza não tem sabor agradável, não gosto! É  amarga.

solidão,
invasão,
intolerância,
insastifação?





















Como um cristal intocável,
esperando o melhor momento para rir,
com quem poder brincar,
com os pés calçados,
cabelos trançados,
livros em ordem,
uma peça num canto, um vaso enfeitado.

Quero morder meu lábio,
estou com raiva.
quero fugir e pular amarelinha,
cheirar terra molhada.





















Será que posso agora me balançar?
_não, não pode, não é hora,
_tem que estudar,
_você só pensa em brincar!
_agora, cale-se!





















E assim se cresce percebendo que tudo parece uma prisão.
Que nunca seremos libertados dessas limitações.
Que o não estará sempre presente.
Que nossas opções são descartáveis.


Mas chega a hora em que o vestido fica mais longo.
Os medos são transitórios,
As ordens nem sempre mais obedecidas a rigor!
Tudo pode acontecer...
corta-se os laços,
solta-se as tranças,
ouve-se apenas o que permíte-se suportar!
Mas há algo que ainda poderá incomodar...
a tristeza incorporada na alma, feito doença incurável!
precisa-se de de cura,
onde encontra-la?
respostas,
sempre respostas vagas.







quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

" Azul infinito"


















Quando não se tem  mais o que  dizer...
melhor voar!
Quando o mundo passa a ser apenas uma tela azul infinita...
é porque as cores fugiram sem despedidas.
Assim estou!
calada.
azul infinito.
Quando buscava ser feliz a qualquer preço...
não me importava como pagaria a dívida.
mas não quero ser mais feliz de qualquer jeito...
e o preço a ser pago, será ficar sozinha.
Tanto faz!
Feliz pra quê?
Iluzão de instantes, frustações permanentes!
Melhor é abrir a janela e ver o sol nascer!
Melhor é sentir o frescor de um dia chuvoso!
Melhor é a lembrança da terra molhada, de quando éramos criança.
Quero chorar até desmanchar,
Quero gritar até perder a fala,
Quero morder minha alma para ver se ela se manifesta!
Quero quebrar todos os espelhos, estou farta de mim!
Não suporto mais me ver!
Não aguento rasgação de sedas vagas e fulgases!
Não preciso de ninguém, minha loucura já basta!
Minhas personalidades tomaram algo do que eu era...
Não me encontro e isso deixá-me furiosa!
Não me mantenho constante, isso me apavora!
Está difícil amanhecer. Tenho medo de mim!
Não quero mais dialogar sobre isso, ninguém poderá me ajudar.
As estradas estão ficando bloqueadas...vejo a sinalização dizendo que eu pare!
Não estou tendo mais freios...
O abismo me convida...
A entrar na escuridão sem volta.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

" Calvário"












Quando cheguei nesse mundinho louco, disseram que vim acompanhada... mas que não havia lugar para dois.
Foi aí que começou o "sacrifício".
















Aos sete anos, já administrava uma cidade com habitantes muito preocupados em abrir uma fábrica de brinquedos e doces. Era uma linda cidade imaginária!











A noite, quando adormecia,sonhava com seres mágicos de um mundo mais feliz e tranquilo e com meu príncipe dourado.



Houve um período bastante chato quando convivia com pessoas me forçando beber coisas amargas e perfurando meu corpo várias vezes, foi uma época inesquecível! Mas esse cara aí me chamou um dia e disse que era necessário passar por aquilo.






Começaram as crises de identidade, a transição para descobertas mais intensas! Pavores, insastifações,a desordem mental...precisava de ajuda!

Resolvi fugir, sair para encontrar luz,entendimento, paz! Mas não encontrei. Continuava presa a tudo, a todos  apesar da distãncia.
eles não me deixavam tentar ser feliz!
        
Foi então que tive um sonho. Fiz a mesma tragetória do caminho pro calvário, senti as pedras soltas e empoeiradas, os gritos e as pedras que voavam, e um caminho estreito por onde caminhava,aos empurrões. Ao longe pude ver a imagem mais dolorosa, a crucificação. Jamais esqueci, voltei para casa...cumpri meu destino.

Reneguei o casamento com todas as minhas forças!

Vi a morte arrastar muitos dos meus, vi o peso de viver paixões sem nunca me apegar. Vi o tempo passar na busca de um ser perfeito! Eu não era perfeita.

Reconheci em mim uma estranha presença dominadora, intransigente, compulsiva, obstinada,tempestuosa.

Mas não poderia deixar de mostrar o lado Generoso, solidário,disposta a reaprender com tudo que vivi, e desejosa de me encontrar , reconhecer-me no espelho,chamar-me pelo nome e descobrir que sempre fui única...como todo mundo é.  

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

" Vem"....

























Você deixou escapar um sorriso, o que foi?
espera, não diga nada, já sei.
está pensando talvez...o que ela tem em mente agora?
Pois bem, tenha certeza! Não é nada convencional.
Também não será anormal!
Fecha os olhos, fecha!
Não treme,ainda não chegou a hora!
Há muito tempo quero vendar teus olhos, pronunciar em seu ouvido palavras desconexas!
Está seguro comigo, não te detenhas.
Quero primeiro observar como está assustado, preocupado!
E arranho bem levemente suas costas enquanto se arrepia por inteiro.
Não podes ver nada, escuta apenas minha respiração próxima de ti.
E te peço que morda meu lábio inferior bem forte, muito forte!
Quero sentir o gosto do sangue, isso me enfureçe!
E desço,
E subo, com minhas mãos, é claro!
Te fazendo gemer baixinho e dizendo ordinária, você ainda me paga!
E digo que sei que está adorando! Que quer mais e mais.
Paro um instante! Enquanto admiro seu corpo entregue aos meus caprichos!
Menino corajoso!
Sente isso agora, sente!
Qual é a sensação desse gelo deslizando por seu peito?
Frio, Não?
Ah! Desejo entaõ.
Enquanto o líquido gelado escorre, corro a sugar com meus lábios provocando um choque térmico.
Mistura louca essa, não?
frio e quente,
quente e frio.
Medo e coragem,
Pressa e mansidão.
Mas o calor supera tudo e nossos corpos encendeiam!
Retiro sua venda, você me fulmina com um olhar!
Agora será minha vez, serei entregue a boca do leão.
Serei mordida por um vampiro sedento!
Serei a presa de um caçador esperto!
Serei a um tambor conclamando guerra!
Serei feliz com tudo que tem para me dar.
Nosso encontro será sempre cheio de expectativas!
Nunca terão episódios monótonos que destrói uma cama.
Nosso leito será um vagão luxurioso!
Nossos corpos serão câmaras prontas para surpresas!
Em suas mãos não encontrarei limitações.
Em meu corpo sempre achará a resposta pro que precisa.
Em suas palavras toda sádica perversão!
Em seus gestos a maestria de provocar-me...sem pudores!
Quero ser sua novidade a cada encontro.
Quero poder viajar de vez em quando,
 resgatando em minha mente sua imagem indecente a me chamar...vem!
                               ( Daria pra beber todo "azul" do mar)

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

" ANJO DOURADO"

























As vezes me pego pensando em você...
e uma onda de doces lembranças me invadem.
queria que pudesse ainda estar aqui, comigo.
Nosso mundinho era perfeito!
Eu era um anjinho a coroar Nossa Senhora nas celebrações da igreja,
e você cheio de orgulho a admirar!
Deixei de ser anjo e você foi para perto dela.
Ainda recordo suas cartinhas aos pés da escada, e a bolinha de pingue-pongue pra lá e pra cá, uma
forma encontrada para sempre ficarmos juntos.
Você era meu anjo dourado, eu sua branquinha, lembra?
Agora encontros anjos de todas as cores...mas, um azul em especial agora é meu preferido!
Você tem estado em vários rostos, no desejo de que seria assim como minha imaginação contempla!
Você ficou resguardado de todo o passado, está vivo em mim como ontem.
Você marcou-me com um beijo roubado, roubou minha infância,uma noite distraída...foi mágico, Único!
Eu fiquei encantada!Meu menino valente,dourado como o ouro...cachinhos ao vento.
Tanto tempo faz! Como não te apaguei?
Tantas estradas percorridas...e sempre você estando na chegada.
Tantas emoções desenfreadas...mas você me sinalizando na hora determinada,
Acredito que sua partida tão repentina, foi para estar de longe me guiando...um perfeito anjo!
Meu primeiro namorado.
Meu amado!
Fostes tão iluminado que não chorei tua ausência, pois sempre esteve comigo...mesmo depois de anos passado.
Gostaria que me seguisse sempre! Mas queria que me deixasse amar novamente também.
Não me reconheço a cada manhã sendo a mesma mulher...pois ainda sou a menina de tranças que você deixou esperando sentada na escada.   ( José Mário "Marinho" in memorian)