domingo, 16 de janeiro de 2011

" LILITH"





















Perigoso jogo na qual  é submetida através dos milénios.
Atravessando as intermináveis mudanças  dos tempos.
Munida sempre de  máscaras impostas pela sociedade carrasca.
Exuberante e audaciosa, sem medo de travar batalhas.
Mulher dos ventos que o tempo não a domou.
Criatura da noite que a luz  apagou.
Desejo noturno presente em algum homem  que sonha.
Ameaça constante das pobres senhoras desposadas.
Autoritária e segura...não entrega o jogo sem ver a última carta.
Dribladora dos instintos mais inteligentes...faceira e perversa!
Como um animal espreita sua presa para o duelo final.
Fascinante como uma jóia rara ofusca os olhares mais apurados.
Uma serpente em forma de gente.
Uma dissimuladora com três anjos á sua frente.
Uma perdida querendo encontrar-se.
Quem de fato poderá detê-la? Ninguém!
Animal feroz que rosna  segredos em alguma cama.
Paladar apurado sobre as  bocas envenenadas.
Um cheiro de sedução que a tempestade espalha.
O abismo de quem a procura, e perdido  por ela... se encontra.
A mulher que não aceita estar submissa, é dona de sua posição.
Não divide seu objeto de desejo com ninguém e com destreza a afasta.
Prima dona dos impérios nefastos.
Abismo dos céus de luas negras.
Insulto dos inocentes!
És Lilith, és irmã, és  para sempre!