quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

" Meu castelo"






Finalmente posso respirar!
Encontro dentro do peito a força necessária para sair de meu castelo.
Sem as sombras de um passado distante que tanto me perseguiam,
que tantas vezes me diziam ... "nunca conseguirás!".
Os ecos raivosos dessa sombra por anos serviram-me de guia...como cega e amedrontada tranquei-me.
Ainda lembro-me bem de ouvir aquela sombra, pedindo-me companhia em seu desfecho final...
exalando o gás mortal e o fogo que logo viria.
Terrível assombro em meu corpo ainda infantil...implorando-lhe...ainda não quero partir!
E as paredes do castelo inundadas de medo, revolta ...foram iluminadas pelo olhar do criador!
Ainda sem entender tantos desajustes...só persebi que estava salva! E a sombra ainda arrependida, pedia para calar-me! Para sempre.
No fosso escavado do meu passado ,estão guardados tristes recordações...lágrimas que impediriam qualquer inimigo de ultrapassem os portões do castelo.
Mas a criança cresceu, não aceitava mais um nome...ele não guardava bons presságios!
Sempre ouvira a sombra gritar ,murmurar... e nada, calava seus gritos...nem o tempo!
Por muitas vezes mudei de castelo. Encontrara abrigo em braços amigos...crescendo acreditando que nada seria... uma incapaz!
Voltara mais tarde ao antigo castelo...para cumprir uma obrigação!
A" incapaz" assumira sua torre! Aprendera como ninguém a manusear bem uma espada, visualizar do alto os inimigos.
Mas dentro do próprio castelo...ainda permanecia a sombra, agora mais fraca , sem luminosidade definida.
A batalha interna só estava começando. Foram anos intermináveis....mas aprendi que poderia conviver com o inimigo.
Mas...como tudo tem um fim, a sombra pediu que não a abandonasse...que não fugisse como todos os outros.
Senti que as paredes do meu castelo não eram mais necessárias para um refúgio. A sombra deixou de existir...sua aparência ainda guardo, enquanto era meu foco de luz...ainda ingênua.
Hoje posso sair pelos campos, sentir o vento suave beijando minha face e fico agradecida por ter sido forte desde o dia em que nasci.