quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

" Seu chamado"






Estou a correr todos os riscos!

Bater de frente com uma avalanche de desejos...

impulsionada e entregue, instinto quase animal...fera a procura de sua presa!

Travando uma guerra entre o frear ,ou morrer em seus braços!

Quero sim. Quero beber desse líquido letal que vem de tua boca.

Preciso sentir o cheiro inebriante que sai dos teus poros...inebriar-me como selvagem que sou!

Teus arranhões em mim são como letras declarando um decreto! Que sou tua !

Ainda que digas que tudo um dia passará...tua marca está tatuada em minhas entranhas.

Não possuo força absoluta para deter o que vem de tua mente...

imagens que me fazem andar de olhos fechados, morder os lábios até sangrá-los!

Estranho que possuas tanto poder sobre mim...sei que estou insana! Você faz isso.

O caminhar de teus dedos são passos para o abismo...e caem sem culpa, sem pudores!

Seus olhos são espelhos onde encontro a imagem que desejo enxergar!

Sua boca, a fonte que mata a sede desértica...um poço onde quero afogar-me!

Ainda posso ouvir sua voz dizendo-me...vem e fica!

e continuo ouvindo mesmo quando se vai...frequências de sons clandestinos!

Roubaste minha paz, meus limites e extraiu o mais íntimo em mim.

Tudo tem um preço...um de nós irá pagar caro! Sei disso.

Não quero pensar agora. Quero mesmo é me perder...e não quero ser encontrada,

a não ser por seu chamado.