sábado, 13 de novembro de 2010

"Psique"


Ó amado entre os deuses...dou-te as mais belas pérolas que caem dos olhos meus.
Entre os mais adorados estas tú... estátua magestosa do museu encantado de meus devaneios.
Que há por dentro desse teu peito? Lâmina afiada ,que corta por etapas minhas esperanças.
Sou deusa, sou a filha pródiga que sai a te procurar, como as sentinelas dos jardins da Babilônia.
Teu encanto é minha pressa e quanto mais espero me acelera a paixão.
Vasta dor, me espreita a escuridão...quarto frio,sem estrelas, lembrando as làpides que repousa as virgens enterradas por desilusão.
Tenho sede, e não encontro o líquido abundante que o doce dos teus lábios me negas, há meu amado!
Sairei a buscar-te. Se souberes do meu amor, das minhas reais intenções...não vacilarás, jamais!
Devastarei,se preciso for territórios distantes,mares, e vulcões...serei uma serpente pelos desertos, uma fenix a voar.
Sei de teu passado,dos teus anseios e remorsos...sei que desejas amar e ser amado e que escondes uma face que tento encontrar.
Abismo secreto que seus olhos não mostra...véu de desilusão,até quando?
O amor clama por nós, os invejosos morrerriam do próprio veneno se assim fosse.
Pra que esperar? não sei se resisto por muito tempo! Tenho pressa, tenho sangue,tenho um quadro imaginário....pintado "Você".
Sou uma sobrevivente das correntes tortuosas das paixões, sou Psique e quero meu Eros...vou desbravar montanhas e chegar ao braços teus.