segunda-feira, 15 de novembro de 2010

" Súplica "


Espere um pouco... não vá ainda, tenho medo! Deixe-me ao menos terminar esta súplica ao criador.
Trancada em minha clausura,em meios as teias que adornavam aquele ambiente sombrio, falava com meu reflexo no espelho e...murmurando palavras deconexas, sentia tremores e expectativas.
Lá fora, a noite solitária feito eu, admirava o luar encoberto pelas negras nuvens.
Clamava aos prantos, que me enviasse um anjo...um salvador! Que me tiraria desse encanto, quebrando as algemas e me levasse para longe se assim fosse.
Os Olhos úmidos e o coração partido, olhando pela janela a dança das folhas nas árvores.
Como queria ser folhas! Folhas não choram,não amam,não esperam. Simplismente caem na hora certa e são arrastadas sem destino.
E eu, Quem me leva? Sou esposa da solidão dolorida e passiva!
Sou uma Eva... culpada e banida,
Sou uma Salomé...esperando na bandeja, por um coração despedaçado.
Sou Roxana... que lutou invejosa por um amor não correspondido.
Sou mais uma sonhadora... em tempos de guerra, uma Helena de tróia!
Posso ser quem minha vida designar, já fui todas elas e meu tempo não cessou.
Da minha torre sou um conto épico esperando ser contada,aclamada,lembrada!
Da minha oração contínua sai lágrimas,esperança de ser novamente encontrada.
Da minhas noites febrís, procuro o bálsamo para minhas enfermidades .
As vezes me entrego cansada, ao sono que vela meu semblante vazio...porque foram tantas mulheres que vestí, foram tantas paixões impregnadas.
Foram tantas promessas esquecidas... e acabei aqui,nessa torre trancada a te esperar... sem um rosto!