sábado, 30 de outubro de 2010

" A Linguagem do Amor"


Sopro divino, imagem holográfica registrada em minha mente.
Fascínio em forma humana, quebrando barreiras,incertezas,distâncias...navegar em tuas palavras é padecer, sem poder beber de perto,o que sai de tua boca...voa,vem pra mim, tenho colo,tenho afeto,sou um aconchego nos dias frios,seu verão intenso! Sua tempestade.
Coração magoado,ferido,desgastado...tenho as ferramentas,sou precisa em concertar erros do passado.
Dai-me uma chance, derradeira se for, mas aceita-me em tua vida, serei teu farol te guindo pelas noites á fora.
Dai-me ouvidos,acredite no que digo, aceita amado, aceita o que de verdadeiro te digo.
A vida acostumou-lhe a desconfiar,regeitar,retroceder... não chores dores petrificadas, serão mais dolorosas e cansativas.
A vida quer lhe presentear! Ser um natal contínuo,neve todo o ano, sinos tocando...serei eu, a te doar.
Naõ bloqueie a passagem de uma nova oportunidade, rasga os vestígios da solidão,entra na roda e baila comigo...Nossa dança em núvens de algodão.
Seja minha criança, quero dar-te proteção,afago e segurança...Chegarás a mim sem medo ou desconfiança.
Vou te seguir se preciso for, alcançarei o inimaginável, falarei a língua dos anjos...mas é a tua que me encanta! Serás meu guia aqui na terra, e eu tua devota, cantando louvores ao nosso encontro!

domingo, 24 de outubro de 2010

Cora...Coração!









Corações são como... feitos de papel... dobram-se como origames ,escrevem-se páginas de alguma história bem ou mal contada.
Corações são crianças gulosas...fartam-se de seu doce preferido até dormirem enjoadas.
Corações são pérolas verdadeiras...mas há pérolas falsas, nos enganam com sua beleza e perdem o fascínio quando se quebram.
C
orações são estações de trem fantasma... ouvi-se suas batidas apaixonadas e seus trilhos são feitos de fumaça.
Corações são ondas nervosas...mar revolto em tempos de inverno...pescadores lançando suas redes, barcos a deriva, sem volta,.
corações são diamantes brutos...necessitam serem lapidados...custam caro,são duros...mas tem um brilho sem igual, aos olhos de quem se ama.

domingo, 10 de outubro de 2010

"QUIMERA"









De onde vem essa ânsia vertiginosa de conhecer-te?
Homem do vento, a quem te perteces de fato?
Não posso invadir sua alma sem que permitas.
Sou noiva da noite, vago pelas madrugadas ,rodopiando os sonhos alheios.
Brigo com a lua ,ameaçando tomar seu lugar! Que insólita que sou.
Perigosa,traiçoeira, se me atinges no alvo!
Sou princesa, sou o lago de Narciso, o leito do Rio Nilo, sou o fogo que incendiou Roma.
Simplesmente sou...
As ruas de Sevilha,
Um touro em batalha,
Uma dança cigana,
Uma promessa no santuário,
Estação sem trem, deserto sem miragem.
Sou uma mulher tentada, desposada,ousada.
Mas tú , quem és?
Não vejo teus olhos,
Não sugo teus lábios,
Não sinto seu abraço,
Apenas o salvo.

Protejo de sí mesmo, dos seus medos e prisões.
Não fujas.

Deixa eu ser seu leme, a guiar-te pelos mares, a treinar tua mira em matar-me!

Mate-me, mais mate-me de amor.

Transforme essa dor, essa perda em prêmio!
Receba o que de direito lhe ofereço, sem preço, gratidão.
Amor, amor, meu amor!
" QUIMERA"

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

" Meu Encanto"

Meu cantar é uma oração a imagem, doação de letras suaves a expressar todo encanto!
Meu amor é um soneto antigo,sábios acordes a vibrar em teus ouvidos!
Meus beijos para o meu amor, são pérolas preciosas,escondidas no fundo de uma cocha fechada,tragada pelo oceano!
Meus dedos são para o meu amor as teclas de um piano imponente,tocando sons eruditos que extravasam a sua alma!
Meus contornos são para o meu amor, uma valsa vienense,rodopios de prazeres,numa dança inconsequente!
Meus caprichos são para o meu amor ,facetas de menina dengosa,mulher faceira,pedindo sempre atenção!
Meu andar é para o meu amor,uma ventania em fim de tarde,balançando todas as árvores,exalando perfumes primaverís!
Meu prazer é para o meu amor,uma sintonia de pássaros selvagens, lúdicos e suaves nas tardes antes de dormir!
Meus olhos são para o meu amor, espelhos refletindo na alma, generosos e profundos exprimindo todo amor em face!
Meu amor é para mim tudo o que faço,
tudo o que cheiro,
tudo o que agarro,
tudo o que almejo,
tudo o que desespero
tudo o que bebo,
tudo o que levo,
tudo que sai, e tudo que entra,
tudo que vem e tudo que volta,
tudo o que pratico e tudo que ensino,
tudo o que esperei, e tudo recebido!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

"Devoção"

Vem meu amor!
Vem,vem depressa, sem medo,sem dor!
Vem meu pastor!
Vem guiar tua cria, que te dar tanto...tanto amor!
Sinto tanta saudade! Quando te somes das minhas vistas.
Vagar nos teus sonhos mais devassos, de menino safado,criança traquina!
Há meu amor,que tormento!
Quando me toma em teus braços, abalando as minhas estruturas. Sinto perder o chão, sinto o tremor de tanta devoção!
Será correta essa aflição?Será possível entender qual a razão?
Por que entender?Pra que?
O abismo que nos separa iguala ao rio com o oceano,
O Céu com o inferno,
A terra e o ar,
As artérias sem o sangue.
Meu intenso amor! A vastidão de perder-te é fatídico, chego a ter convulsões em pensamentos.
Estarei esperta, farei vigília em teu coração,abrirei trincheiras se for preciso!
Mas não aceitarei perdê-lo, não novamente!
O tempo nos amadureceu, nos fez acreditar que a vida é cíclica.
O tempo nos marcou em estradas diversas,
Caminhos importantes para reinventar-mos nossa história,
Acreditando que todo sonho é realizável,
Que todo amor pode ser generoso,sincero,paciente e completo... e que jamais estará perdido,
Jamais fugirá dos seus termos,
Jamais apagará a chama,
Jamais ficará um sem o outro.
E jamais haverá um adeus, de fato.

Laura*Esperança

sábado, 2 de outubro de 2010

" Toda Mulher"






Quando se tem sete anos. Ama-se o cão, o gato, o papagaio e as bonecas.
O tempo vai passando, chega-se aos dez. O coleguinha da classe é o mais bonito do mundo! Os cabelos não podem ficar desarrumados, nem pensar levar lancheira! coisa de criança. Ensaia-se o primeiro beijo na mão,no espelho,na laranja,na porta do armário. e se duvidar ...sabe onde?! Mamãe levar até a porta da escola?!, é de última! Garotas de dez anos sabe andar sozinhas. Irmaõ a tira -colo? É a morte! As brincadeiras inocentes dão lugar as insinuações mais diretas. Fica-se vermelha ao pegar nas mãos, o rosto queima, o corpo vira geléia de morango. Mas quando chega-se ao quatorze anos...Ufa! Áí é problema puro! Os hormônios estão em alta, quase gritando! O corpo está mudando seus contornos, a voz está mais delicada porém decidida. O beijo certamente não é mais improvisado. Ama-se nessa idade: O professor, o dentista, o ídolos do rock,os modelos, o namorado da melhor amiga e aí vai... Aos dezoitos anos, muitas já tiveram sua primeira noite tão esperada! Satisfatórias,delicadas,desajeitada,inexperientes. Algumas dolorosas por serem rejeitadas,humilhadas,violentadas no seu pudor,trocadas por outra mais nova, ou naõ. E por aí vai... Aos vinte e oito anos, torna-se amante de algum homem infeliz no casamento ou apenas um bom vivant! Entrega-se pensando que vai ganhar a partida, as vezes sim , ou sai derrotada levando seu cartão vermelho. Possivelmente estabiliza-se em um bom emprego,ganhando presentes do chefe babão ou por mérito também.
Trinta e cinco anos. Já foi noiva abandonada,casada,divorciada e não sai dos barzinhos ouvindo MPB curtindo a solidão. Outras são bem resolvidas e vão a procura de diversão apenas. Voltam para casa felizes, e partindo para outra no dia seguinte.
Outras vão molhar o travesseiro por que o cara da noite passada não mais ligou. E por aí vai...
Quarenta anos. É o momento em que todas as idades resurgem juntas,extravasando conflitos,medos,desejos incontroláveis,maturidade, senhora da situação,manipuladora.
Deseja uma noite com o melhor amigo,um caso com o Ginecologista,uma saída para dançar com o visinho que lhe devora com os olhos, perturba a consciência de muitos ,apenas para vingar-se de alguém do passado. E por aí vai... Chegando aos... Não vou prosseguir mais com a escala, por que estarei sendo injusta com algumas senhoras, se é que no íntimo de alguma mulher existe esse termo?! Toda mulher aos sete anos quer ter dez
Toda mulher aos dez quer ter quatorze . Toda mulher aos quatorze quer ter dezoito
Toda mulher aos dezoito quer ter vinte e oito
Toda mulher aos vinte e oito precisa da estabilidade da de trinta e cinco
Toda mulher aos trinta e cinco imagina chegar aos quarenta, E por aí vai... quem quer entender uma mulher?
Não importa como nasçam, cresçam,amadureçam. Sempre serão mulheres,frágeis,fortes,meninas,inconsequentes,ingênuas,espertas. Mas todas querem amar e serem amadas. LAURA ESPERANÇA